Volume
Rádio Offline
Redes
Sociais
Artigo - MAIO MÊS DE MARIA - Kleber Farias
13/05/2021 06:44 em Opinião

JORNAL DA ILHA - Artigo

Ilha Solteira - O mês de maio deve continuar sempre mais expressivo e significativo para a própria liturgia e para o mistério que celebra. Não se pode tirar essa prática de fé do nosso povo marcadamente mariano, até porque, não se pode falar da encarnação de Jesus, que revela e ao mesmo tempo é revelador da vontade salvífica da Comunidade Trina, sem falarmos de Maria que foi a cooperadora do projeto salvífico de Deus para a humanidade. Isso a fez a Mulher de todas as gerações! Com vários títulos: Nossa Senhora da Conceição Aparecida, Nossa Senhora de Nazaré, de Lourdes, das Neves e Nossa Senhora de Fátima! Todas são a mesma, ou seja, a Mãe de Deus! Nossa Senhora de Fátima, a qual iremos meditar um pouco sobre a Mãe de Portugal.

Tudo começou quando as crianças: Lúcia de Jesus, Francisco e Jacinta com 10, 9 e 7 anos de idade, respectivamente foram apascentar um pequeno rebanho de ovelhas na freguesia de Cova da Iria, em Fátima, Portugal. Por volta do meio-dia, os três resolveram parar para rezar o terço no lugar onde construíram para brincar uma pequena casa de pedras. Após recitarem 50 ave-marias nas contas do rosário, viram uma grande luz e pensaram que era um relâmpago. Assustados resolveram ir embora, mas o clarão surgiu outra vez revelando uma mulher, de cujas mãos pendiam um terço branco. “Não tenhais medo! Eu não vos faço mal!” “Eu sou Maria.” Falou a Senhora de Fátima aos pastorinhos e disse-lhes que vinha do céu. Nossa Senhora de Fátima se despediu dos pastorinhos dizendo-lhes: “Rezem o Terço todos os dias, para alcançarem a paz para o mundo e o fim da guerra.”

Vale lembrar que o mundo vivia os piores horrores da Primeira Guerra Mundial, que parecia não ter fim; e o Papa Bento XV, no dia 05 de maio de 1917, pediu a intervenção da Virgem Maria e convocou todos os fiéis a se unirem em oração pela paz das nações. Nossa Senhora respondeu logo, no dia 13 de maio, aparecendo àqueles três humildes pastorinhos portugueses, em Fátima. Nossa Senhora foi, neste mundo, a alma que mais intensamente soube acolher, viver e compartilhar a paz que o Salvador sempre nos desejou. No início, ninguém acreditou, todos riram dos três pastorinhos no povoado, e o pároco local lhes fez sérias advertências. Entretanto, as aparições e as mensagens de Maria continuaram mensalmente, e as crianças iam acompanhadas por parentes e pelo pároco. No final, havia uma multidão, que incluía clérigos, religiosos de várias congregações, cientistas, jornalistas, fiéis e curiosos ateus. Mas Deus sempre se utiliza dos humildes, dos pequenos para nos ensinar que Ele prefere os simples, humildes e inocentes para revelar a sua extraordinária Graça!

A última aparição foi em 13 de outubro de 1917, um dia de muita chuva. Próximo à Cova da Iria, se reuniram cerca de 70 mil pessoas, para presenciar um milagre anunciado pela Virgem aos três pastorinhos visionários. Pouco depois do meio-dia, Maria apareceu a eles e lhes transmitiu as três mensagens sobre o futuro. Nesse momento o sol surgiu e começou a girar em direção às pessoas, como uma bola de fogo que cairia sobre elas. As pessoas gritaram, pedindo perdão pelos pecados, e se jogaram no chão molhado. Nesse instante, o milagre fez parar o sol, que reassumiu o seu lugar normal, brilhando como sempre. Ao se levantarem, todos perceberam que suas roupas estavam secas e limpas. Nessa ocasião, muitos milagres de cura se verificaram. É perceptível que Maria se torna uma protagonista do Pai das Misericórdias na História da Salvação. Maria não foi instrumento meramente passivo nas mãos de Deus, mas cooperou para a salvação do mundo com fé e obediência livre. Todo processo da salvação completa-se com a ressurreição e a descida do Espírito Santo no dia de Pentecostes, em que Maria junto com os apóstolos se encontraram em oração e expectativa. Depois da ascensão de Jesus, terminando o curso de sua vida terrena, Maria é plenificada em Deus com a assunção gloriosa aos céus. Isso porque Maria se consagra totalmente à pessoa e à obra de seu Filho como Serva do Senhor. Daí, a ação de Maria e a ação do Espírito Santo se misturam para produzirem juntas uma manifestação histórica. Maria olha para os humildes porque se sentiu olhada na sua humilhação e olha para os famintos porque sentiu fome do pão de cada dia e do Pão que sacia para sempre. Maria é a mulher solidária ao sofrimento e ao abandono de seu Filho Jesus na Cruz; e para com os crucificados de hoje pelas tantas injustiças e desigualdade de uma sociedade adoecida pelo poder, o ter e o prazer!

É desse modo, que Maria, com o título de Nossa Senhora de Fátima se revela como exemplo para as mulheres e homens que não aceitam passivamente as circunstâncias adversas da vida pessoal e social, nem aceitam serem vítimas da alienação, mas se dispõem a proclamar com Ela o Deus que eleva os humildes e derruba os poderosos de seus tronos! Foi isso que ela fez e continua fazendo com sua intercessão para com a humanidade. Nossa Senhora de Fátima é celebrada no dia do aniversário de sua aparição, em 13 de maio. O Santuário de Fátima é visitado o ano todo por milhões de peregrinos e devotos marianos, vindos dos cinco continentes. Indico a você leitor, devoto de Nossa Senhora a assistir os filmes: FÁTIMA, O ÚLTIMO MISTÉRIO e TERRA DE MARIA. Não esqueçamos: Tudo por Jesus! Nada sem Maria! Que Nossa Senhora de Fátima continue nos ensinando a sermos todo de Deus e que possamos sempre escutar através de sua doce voz: “Fazei tudo o que o meu Filho vos disser!”. Um feliz e iluminado mês de maio acompanhado pela intercessão de Nossa Senhora de Fátima! Graça e paz! 

Por Padre Kleber Farias, OMI, Congregação dos Missionários Oblatos de Maria Imaculada, Aparecida de Goiânia, Goiás.

COMENTÁRIOS